UM ROBÔ QUER SEU EMPREGO!

(Fonte da imagem: Reprodução/medium)

Não sei se fico alegre ou preocupado com o que a nova onda de automação esta fazendo com os empregos. Por um lado o conforto criado a partir de aparelhos que nos acompanham no dia a dia é sensacional. Hoje nós somos uma estação de trabalho ambulante.

É comum ver um cara no café da esquina com seu computador fazendo reunião com o pessoal do escritório, vendo planilhas, layouts, desenhos de peças e uma infinidade de coisas que antes só poderiam ser feitas em reuniões presenciais. Esse lado é legal, mas e os empregos que estão sendo engolidos pelas maquinas?

Como ficam? Onde esse contingente de pessoas vai trabalhar e conseguir seu sustento? Lembro de ter abordado aqui nesse GOBACK, a perda de empregos na indústria automobilística, esses mesmos empregos que o Presidente Trump pensa que pode trazer de volta, não vai.

Hoje um robô na linha de produção, tira oito empregos. No agronegócio então é muito mais grave. Uma colheitadeira tira o emprego de doze homens. Não sente frio, não sente cansaço, não precisa de seguro saúde ou de decimo terceiro salário.

É exatamente por isso que conseguimos alimentos muito mais rápidos e com menores custos. Assim como na indústria automotiva, se fossemos produzir do mesmo jeito como era feito nos anos oitenta, os carros não seriam tão bons, confiáveis e baratos. Claro, menos no Brasil onde os impostos engolem todos os ganhos de produtividade.

Uma serie enorme de empregos deverá desaparecer logo ali em 2020, ou seja, daqui a apenas três anos. Empregos como gestores de fundos, caixa de supermercados, motoristas de caminhão e entregadores de pizza correm sérios riscos já.

A nova onda de automação é que irá definir o que é trabalho nos próximos anos. E não estamos falando de empregos, digamos menos técnicos como caixas de supermercados ou motoristas de caminhão. Estamos falando também de empregos qualificados.

Dois exemplos, a Black Rock, maior gestora de recursos do mundo com 5.1 trilhão de dólares em ativos anunciou que irá substituir os analistas por algoritmos. A empresa chegou à conclusão que as maquinas tomam decisões mais acertadas que os seres humanos.

No quadro ao lado em vermelho, a previsão. Em preto, o que já está acontecendo. Outro exemplo, a famosa rede de pizzarias Domino’s anunciou que vai substituir experimentalmente os entregadores de pizza por robôs sobre rodas na Alemanha e Nova Zelândia. Inicialmente as entregas serão feitas apenas nas proximidades das lojas e essas entregas ainda serão acompanhadas por funcionários.

E já que estamos falando de pizza, a startup Zume já recebeu 23 milhões de dólares de investimento em um novo produto: Pizzaiolos robotizados!! Sem querer ser alarmista, mas os empregos nos Estados Unidos e na Europa não serão perdidos para os refugiados, mas para as maquinas.

Só na área de pizza, milhares de empregos serão perdidos para os robôs nos próximos dois ou três anos.

Fonte : medium

Canal theevolutiontech

Apenas mais um fã da grande rede , um maluco pela internet que passa grande parte do tempo conectado sempre a procura de novidades online , e sempre achando já que a rede é movida por novidades ...

Deixe um Comentário !