Stadia tudo sobre a plataforma de streaming de games do Google

Com conexão de 25 Mbps, os jogos serão executados a 1080p a 60fps, mas pretensão do Google é chegar, já no lançamento, à resolução 4K 60fps com 30 Mbps

Como já era previsto, o Google anunciou nesta terça-feira, 19, seu projeto Stadia, plataforma de streaming de jogos de ponta executados em um navegador Chrome. Desde o anúncio, existe uma preocupação sobre as exigências de conexão para uma experiência de jogo satisfatória.

O serviço da gigante de tecnologia permite rodar games em praticamente qualquer dispositivo a partir apenas de uma conexão com a internet, sem precisar baixá-los. Na prática, é similar a uma Netflix: você envia os comandos para um servidor externo, que recebe a informação, processa no jogo, e envia a imagem via streaming para o seu dispositivo. Para ter uma experiência satisfatória, o Google está sugerindo 25 Mbps de conexão.

Durante o Project Stream, a empresa alcançou 1080p a 60 quadros por segundo com 25 Mbps; a empresa afirma que não chega a usar tudo isso para alcançar essa qualidade de imagem, mas dá essa recomendação como uma margem de segurança. “Se você tiver conexão menos potente, forneceremos uma resolução menor”, explicou. Isso quer dizer que, se sua conexão estiver abaixo do recomendado, o Stadia exibirá a imagem com uma qualidade menor, para manter a estabilidade do jogo intacta. Não se sabe qual é a conexão mínima exigida até o momento.

Em entrevista a um podcast do site Kotaku, o executivo Phil Harrison, chefe do Stadia, informou que, no lançamento, o Stadia já terá capacidade de jogos 4K com conexão de 30 Mbps. Hoje, essas propriedades só são possíveis em computadores com processador e placa de vídeo de ponta. A promessa da companhia é aprimorar ainda mais o sistema dos jogos para atingir resolução 8K e 120 fps.

Para utilizar o Stadia pela TV, será necessário, além de uma conexão suficientemente boa, usar o Chromecast junto apenas com um controle Stadia. Em outros dispositivos, como um PC, ainda será possível usar qualquer outro controle USB, o que inclui o DualShock 4 do PlayStation ou o controle do Xbox One.

Harrison garantiu que a intenção do Google é continuar investindo no avanço e manutenção a longo prazo da iniciativa de streaming de jogos, para tranquilizar o público que teme que o serviço seja abandonado como tantos outros projetos inacapados do Google. Para ele, prova dessa ambição é o fato de a empresa ter investido intensamente no Stadia e já ter anunciado que não pretende parar. “Este não é um projeto trivial feito com qualquer recurso. Esse é um esforço bastante significativo que não é apenas a minha equipe, mas também está no YouTube, em toda a nossa equipe de infraestrutura técnica e de rede. Representa milhares de pessoas que estão trabalhando nesse negócio”, afirmou.

O Google ainda não revelou o preço e a data de lançamento do Stadia. Harrison afirmou que a plataforma será disponibilizada até o final do ano para usuários nos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e parte da Europa. Ainda não há previsão de chegada ao Brasil.

Confira os detalhes da iniciativa do Google para games que rodam em qualquer dispositivo.

Já faz algum tempo que a indústria da tecnologia sonha com streaming de jogos, e agora o Google anunciou o Stadia: uma plataforma que promete entregar games de maneira bem simples para jogadores.

Não se trata de um console concorrente do PlayStation 4, Xbox One ou Nintendo Switch, e sim um novo serviço que visa complementar a oferta convencional de games. No Stadia, é possível rodar jogos a partir do navegador Google Chrome, sem que o jogador precisa instalar absolutamente nada na máquina.

O que é o Google Stadia

Reprodução

Um serviço de streaming de jogos, ele funciona de maneira bem parecida com Netflix: usuários selecionam um game e começam a jogar quase que imediatamente, sem necessidade de download de arquivos enormes, e dependendo apenas da conexão com a internet. Na apresentação, o Google mostrou ser possível iniciar games a partir da Play Store, no Android, ou pelo YouTube (ver mais abaixo).

Para o jogador, o Stadia significa curtir jogos em qualquer lugar. Mas não são jogos simples como grande parte dos disponíveis no Android. Os data centers usados para a plataforma contam com potência até superior ao Xbox One X, o console mais poderoso da atualidade. De acordo com o Google, a nova plataforma atinge 10,7 teraflops, enquanto o dispositivo da Microsoft atinge 6 teraflops.

Assim, a ideia do Google é oferecer os games mais avançados da atualidade em qualquer lugar, e, mais do que isso, oferecer ainda mais potência para desenvolvedores explorarem. O Google diz que, no lançamento, o Stadia será capaz de rodar jogos em 4k e 60 fps, com a promessa de atingir resolução 8K e 120 fps no futuro.

O que é preciso para rodar o Stadia?

Um dispositivo compatível e uma conexão com a internet. O dispositivo deve ser mais fácil de conseguir do que a conexão, no entanto.

Como todo o processamento de jogos é feito na nuvem, o Stadia não exige hardware potente e pode rodar mesmo em celulares básicos e notebooks baratos. Quem preferir jogar pela TV vai poder usar o Chromecast junto com um Stadia Controller (ver mais abaixo).

O problema é ter uma conexão confiável – streaming de jogos é algo mais complexo do que de filmes ou música, por exemplo, e exige muito mais da internet. Assim, se por um lado o Stadia “libera” o jogador do hardware, ele só funciona em algumas situações bem difíceis de se encontrar por aí – não é nada fácil ter uma conexão confiável o suficiente com a internet para isso.

De acordo com o Google, nos testes do Project Stream a plataforma conseguiu entregar jogos em resolução 1080p a 60fps para usuários com conexões de 25 Mbps. O objetivo é que, quando o Stadia for lançado até o fim do ano, ele exija conexões de cerca de 30 Mbps para jogos 4K a 60fps.

Stadia Controller

Para acompanhar a plataforma de streaming, o Google vai lançar também um controle para o Stadia.

O design do Stadia Controller é bastante parecido com controles convencionais, como o gamepad do Xbox One ou o DualShock 4 do PS4. Ele tem dois analógicos na parte inferior, com um direcional digital na parte superior esquerda e quatro botões ABXY na direita. Na parte superior, estão quatro botões, enquanto na parte inferior encontra-se um conector de fone de ouvido.

Alguns botões na parte central diferenciam o Stadia de outros periféricos. Um deles é destinado a compartilhar conteúdo no YouTube e um para o Google Assistente. Ainda há um microfone e é possível usar comandos de voz para, por exemplo, conseguir dicas de como avançar no jogo, caso você esteja preso em uma parte dele.

Caso você prefira não comprar o controle especial, o Stadia também vai funcionar com modelos encontrados atualmente, como o DualShock 4 do PlayStation 4 e o controle do Xbox One.

Integração com o YouTube

Como é de se esperar, o Google vai integrar o popular serviço de vídeos YouTube, bastante usado por gamers, à sua nova plataforma de streaming. Além de facilitar o compartilhamento de conteúdo para a plataforma de vídeos, o Stadia consegue fazer outras coisas quando ligado ao YouTube.

Uma das possibilidades demonstradas pelo Google é de iniciar um jogo a partir de um vídeo do YouTube. Um usuário, ao assistir ao trailer de “Assassin’s Creed Odyssey”, por exemplo, vai encontrar um botão para começar a jogar – em segundos, ele vai se encontrar no mundo do game da Ubisoft.

Com um recurso chamado Crowd Play, jogadores vão poder participar de partidas junto com criadores de conteúdo – um botão na tela indica que o youtuber em questão quer auxílio dos espectadores. E um chamado State Share permite compartilhar

E os jogos?

O Google diz que mais de 100 estúdios já se comprometeram a desenvolver games para o Stadia, um grupo interno foi formado para cuidar disso: comandado por Jade Raymond (ex-Ubisoft, EA e Sony), o Stadia Games and Entertainment deve criar games exclusivos para a plataforma. Até agora, nenhum foi anunciado.

Apesar disso, temos alguns nomes confirmados. “Assassins Creed Odyssey”, que foi usado durante os testes da plataforma no fim do ano passado, será um dos oferecidos já no lançamento. “Doom Eternal”, da Bethesda, chegará também ao serviço do Google no futuro – não há data de lançamento para ele.

Data de lançamento? Preço?

O Stadia vai começar a funcionar ainda em 2019. O Google promete dar mais detalhes sobre a plataforma durante os próximos meses, contando games disponíveis no lançamento e também o preço cobrado pelo serviço.

Quando chega ao Brasil?

Em um comunicado enviado para a imprensa, o Google disse que o Stadia vai ser lançado inicialmente nos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e parte da Europa. Por enquanto, não há previsão para o Brasil.

Canal theevolutiontech

Apenas mais um fã da grande rede , um maluco pela internet que passa grande parte do tempo conectado sempre a procura de novidades online , e sempre achando já que a rede é movida por novidades ...

Deixe um Comentário !