Hands-on do Xiaomi Mi 9: a melhor definição de bonito, bom e barato

O Xiaomi Mi 9 já não era mais segredo, pois havia sido anunciado na China no início desta semana. Porém, o lançamento global do aparelho aconteceu hoje (24), em um evento pré-MWC 2019, em Barcelona, na Espanha. Depois de usar o dispositivo, posso dizer que não existe definição melhor para o Mi 9 do que “bonito, bom e barato”.

O Xiaomi Mi 9 é bonito

O Mi 9 passou por uma revisão do design em relação ao modelos de 2018. Agora, o aparelho está mais fino, especialmente, nas pontas, dada a curvatura da parte traseira. Mas se por um lado isso melhora a pegada, por outro, aumenta a protuberância do módulo da câmera.

Reprodução

Aliás, o conjunto de três câmeras é a única coisa que temos na parte de trás, pois o sensor biométrico foi incorporado à tela de 6,39 polegadas, e já não está mais na traseira. Neste sentido, o Mi 9 pode ser considerado um smartphone bem minimalista, a não ser pelo modelo “transparente”.

A edição especial do Mi 9 é realmente a mais bonita de todas as variantes de design do aparelho, pois temos muito mais informação visual. É claro que se trata apenas de uma capa traseira transparente, mas ainda assim chama a atenção pelo design industrial, tornando o aparelho único. Alguns detalhes, como a cor vermelha do botão para acionar o Google Assistente, colaboram para o visual desta variante.

Reprodução

É claro que os modelos clássicos também possuem seu charme. Todas as variantes são muito bem acabadas e o aproveitamento da parte frontal para a tela é grande, visto que temos um display com entalhe em forma de gota.

Reprodução

O Xiaomi Mi 9 é bom

O Mi 9 pulsa com um processador Snapdragon 855, e possui 6GB de memória RAM e duas variantes de armazenamento interno: 64GB e 128GB. Ou seja, o topo de linha da Xiaomi possui as especificações de hardware de um smartphone premium, porém, com um preço inferior ao da concorrência.

Durante o tempo que passei com o aparelho, não percebi engasgos ou qualquer outro tipo de falhas no sistema, pelo contrário, o software rodou liso e rápido. Desde o lançamento dos aplicativos à ativação da tela. Sinceramente, com essa ficha-técnica, não esperava ter problemas.

Reprodução

Porém, de todo o hardware, o destaque fica mesmo por conta da câmera tripla, que chega pela primeira vez a um smartphone da fabricante. O lente de 48MP, da Sony, é a cereja do bolo deste módulo de câmera e é capaz de capturar imagens realmente nítidas e coloridas. Mesmo na sala de hands-on, na qual a iluminação era muito ruim, as fotos ficaram boas e o campo de visão que a câmera do Mi 9 oferece é um ponto muito a favor deste aparelho.

A integração da tecnologia de Inteligência Artificial (AI) à câmera ajuda muito na hora de fazer fotos, pois, sempre que necessário, o próprio software da câmera vai sugerir o uso de certos recursos, como o aumento do campo visual para comportar mais detalhes da cena.

Xiaomi Mi 9: ficha técnica

  • Tela: 6,39 polegadas, Super AMOLED, com resolução FHD+ e proporção 19:9;

  • Processador: Snapdragon 855, GPU Adreno 640;

  • Memória: 6 GB ou 8 GB de RAM;

  • Armazenamento: 64 GB ou 128 GB;

  • Câmera tripla traseira:

    • Sensor principal Sony IMX586 de lente padrão com 48 MP de f/1.75;

    • Sensor secundário de 16 MP com lente ultra-angular de f/2.2;

    • Sensor terciário de 12 MP com lente teleobjetiva de f/2.2;

  • Câmera frontal: 20 MP (IMX576);

  • Bateria: 3.300 mAh, com carregamento rápido de 27W (com fio) e 20W (sem fio);

  • Sistema: Android 9 Pie + interface MIUI 10.

O Xiaomi Mi 9 é barato

O novo Mi 9 já está disponível para a compra através do site da Xiaomi em diferentes regiões, e chega ao mercado pelo valor impressionante de 449 euros. Fazendo uma conversão direta para a moeda brasileira, isso significa que o Mi 9, um dos melhores smartphones Premium de 2019, custa a partir de 1918,42 reais. É um preço realmente imbatível no mercado global.

Reprodução

O Xiaomi Mi 9 é bonito, bom e barato

O Xiaomi Mi 9 é bonito, bem acabado e possui uma das variantes mais bonitas que vi nos últimos tempos, a edição transparente. O aparelho foi construído com componentes de hardware de primeira qualidade e, ainda assim, possui um preço acessível, bem abaixo daquilo que vimos até o momento.

Logo, as minhas primeiras impressões não poderiam ser melhores. Depois de tudo o que vi hoje, posso dizer sem dúvidas que a Xiaomi vem preparada para fazer em 2019 o que a Huawei fez em 2018. Ou seja, aumentar sua presença no mercado global. Samsung e Apple que se cuidem!

Canal theevolutiontech

Apenas mais um fã da grande rede , um maluco pela internet que passa grande parte do tempo conectado sempre a procura de novidades online , e sempre achando já que a rede é movida por novidades ...

Deixe um Comentário !